O Venerável Padre Michel Le Nobletz (1577-1652)

Michel Le Nobletz nasceu no dia 29 de Setembro de 1577 no casarão (solar) de Kerodern na paróquia de Plouguerneau. Depois dos seus estudos com os jesuitas de Bordeaux, Agen et Sorbonne em Paris, ele foi ordenado padre em 1607. De volta a Plouguerneau, ele se retirou durante um ano numa cela que fez construir nos rochedos da praia de Trémenech e onde levou uma vida austéra. Tomou, então, a decisão de ser missionário, tomando como lema as palavras de São Paulo: “Vae mihi, si non evangelizavero!” (Ai de mim se eu não evangelizar - 1 Cor 9,16).

Empreendeu missões nas dioceses de Tréguier e Léon, viajando depois para as ilhas de Ouessant, Molène et Batz, antes de partir para Cornouaille em 1614. Primeiro instalou-se em Quimper, onde comprou uma casinha em Terre-au-Duc, pregava na Igreja São Mateus todos os domingos e dias de festa, e ensinava o catecismo. De Quimper, ele partiu em missão: a Faou, a Concarneau, a Pont-l’Abbé, a Audierne, a ilha de Sein... Nomeado reitor de Meilars, renunciou ao cargo depois de alguns meses para se estabelecer em maio de 1617 a Douarnenez, que era apenas um bairro da paróquia de Ploaré.

Durante vinte e três anos ele catequisou os fiéis, visitou os pobres e doentes, desenvolveu novos métodos pedagógicos e escreveu numerosos cânticos bretões, que foram conservados pela tradição. Para ilustrar sua pregação, ele inventou o uso de cartazes pintados que representam os “taolennou” ou quadros de missão. Com ele, Douarnenez tornou-se um lugar de vida cristã fervorosa.

Em 1640, ele voltou à diocese de Léon, a Conquet, onde passou os últimos doze anos da sua vida e onde recebeu em 1651 ou 1652 os estigmas da Paixão do Salvador, no final de toda uma vida doada a Deus e aos seus irmãos. Morreu em Conquet, no dia 5 de maio de 1652, com a idade de 75 anos.

Apelidado “ar beleg foll” (o padre louco) por alguns, Padre Michel Le Nobletz foi, no início do século XVII, o primeiro e um dos mais vigorosos missionários da Reforma Católica no sul da Bretanha. Padre Michel Le Nobletz escreveu um diário das suas missões, no qual podia se ler alguns fragmentos da sua vida, publicado em 1666 pelo Padre Antoine Verjus (La Vie de Monsieur Le Nobletz Prestre et Missionnaire de Bretagne; A vida do Senhor Le Nobletz Padre e Missionário da Bretanha). Sua obra foi seguida e desenvolvida pelo Beato Julien Maunoir (1606-1683) (beatificado em 20 de maio de 1951).

O processo de beatificação

O processo de beatificação de Padre Michel Le Nobletz foi aberto em 1701 por Dom Le Nevoux de La Brousse, bispo de Léon. Foi relançado por Dom Lamarche, bispo de Quimper e Léon, no dia 30 de outubro de 1888. Dois processos diocesanos examinaram sucessivamente sua fama de santidade, suas virtudes, milagres e ausência do culto público. Um decreto do Papa Leão XIII, do dia 6 de abril de 1897, autorizou a introdução da causa junto a Sagrada Congregação dos Ritos. Conforme as regras em vigor, um novo processo, dito processo apostólico, reexaminou a causa, que depois foi submetida a discussão dos cardinais da Santa Congregação. O Papa Pio X reconheceu o heroísmo das virtudes de Padre Michel no dia 14 de dezembro de 1913, abrindo assim a via da beatificação do venerável Padre Michel Le Nobletz assim que um milagre seja reconhecido.

ORAÇÃO PARA OBTER A BEATIFICAÇÃO

Michel 2Deus, nosso Pai, tu que inspirastes ao Venerável Michel Le Nobletz um terno amor pela Bem-Aventurada Virgem Maria e lhe concedestes, pela sua intercessão, a graça de praticar as virtudes evangélicas a um grau heroico e de se gastar com um ardente zelo apostólico ao serviço das missões em Cornouaille, Léon e Tréguier.

Humildemente, te suplicamos, para manifestar a glória do teu servidor por milagres que permitam à Santa Igreja, nossa mãe, de admite-lo ao número dos Beatos e de propô-lo assim, a nossa devoção como modelo de padre totalmente doado ao anúncio do Evangelho e à salvação das almas. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém.

Assinalar uma graça recebida

Numerosos milagres de cura, foram atribuídos a Padre Michel nos séculos XVII e XIX. Entretanto, sendo os fatos muito antigos, a consulta médica da Santa Congregação dos Ritos, afastou-os como “insuficientemente provados” para poderem serem retidos ao apoio à causa da beatificação.

Michel 3 recadreUm caso de cura contemporânea é necessário para levar a cabo a causa. Se uma cura inexplicável acontecer à sua volta depois da invocação do Venerável Padre Michel Le Nobletz, você daria uma ajuda importante à causa da beatificação, assinalando-a à Chancelaria do Bispado de Quimper :
Pelos correios: Senhor Chanceler, Evêché, 3 rue de Rosmadec 29018 Quimper Cédex
Por e-mail: chancellerie @ diocese-quimper.fr

Padre Michel recebe da Virgem Maria a tripla coroa da virgindade, de mestre espiritual e do desprezo das máximas deste mundo (quadro de Yan’Dargent, bispado de Quimper)